As crianças precisam ter outras referências de paladares. Sem culpa, sem peso e pressão!



Oi! Somos Iara e Bárbara, idealizadoras e fundadoras do Quintal da Vila, uma comunidade de aprendizagem para bebês e crianças até 5 anos situado na Zona Oeste de São Paulo.


O Quintal da Vila nasceu no final de 2017 e em 2018 começou a dar seus primeiros passos. Em conjunto com um grupo pequeno de famílias, construímos não só o espaço físico, mas o pedagógico e os pilares que sustentam nossa prática.


Hoje, o Quintal cresceu. O grupo de famílias não é mais tão pequeno assim mas nossos valores e princípios seguem os mesmos: respeito pela infância (e isso implica na disponibilidade de espaço e tempo para o livre brincar), natureza como educadora (priorizamos o contato com elementos naturais e cultivamos o hábito da alimentação saudável) e a criação de vínculos afetivos como base para todas as relações de acolhimento e troca.


Mas aqui, queremos falar um pouquinho mais sobre a relação do cultivo de hábitos saudáveis na alimentação, pois é nesse momento que nos conectamos ao Meu Primeiro Alecrim.


É muito comum ouvirmos das famílias que as crianças comem melhor no Quintal do que em casa, ou que algumas frutas rejeitadas em casa são devoradas nos lanches e piqueniques do Quintal.


A verdade é que, assim como em várias outras situações, nosso entorno influencia nossas preferências e nossa forma de lidar com tudo. E isso vale para adultos e para crianças. Ao vivenciar o momento do lanche como um momento quase ritualístico, no qual todas as pessoas se sentam juntas, trocam, conversam sobre o que estão comendo e etc, partilham muito mais do que só os alimentos: Partilham dessa experiência histórica e visceral de comensalidade.


Dessa forma, ao vivenciarem esse momento gostoso e ao se depararem com outras crianças se relacionando com alimentos novos, há a abertura para a experimentação e a apreciação do hábito de sentar à mesa com calma e atenção para o ato de se alimentar.


Tudo isso pra dizer que a paternidade e principalmente a maternidade não precisam e não devem ser solitárias. Como diz o famoso provérbio africano: É preciso uma aldeia inteira para criar uma criança.

Ou seja: As crianças precisam ter outras referências de paladares, de culturas e hábitos. Sem culpa, sem peso e sem pressão.


No Quintal, é dessa forma que fazemos, entendemos a etapa da alimentação também como essencial no processo de desenvolvimento dos pequenos e não como um momento de transição (aquele famoso lanche rápido para voltar às atividades e ao brincar). Sem correr atrás de criança oferecendo "só mais uma colherada" e sem forçar a comer caso a criança não queira mais. Na base da confiança e do diálogo vamos construindo e vivenciando esse momento tão delicioso do nosso dia.


E tá tudo bem ter outras referências e fazer o que é possível em casa. De novo: Sem culpa e sem pressão.


Afinal, o importante não é a criança vivenciar as diferenças e a multiplicidade das possibilidades? Isso tudo é educação alimentar e é parte essencial da primeira infância.